An@ Encantada

Porque sim…

Arquivo de Abril, 2010

Errr

Sou só eu que já não posso ouvir falar de cupcakes?! Oh bloggers da minha terra, mudem lá de assunto.

Olá, olá,

Ainda ontem estava em Amesterdão e agora já estou cá!

Pois que foi muito giro, muito cheiro a ganza e a fast food, que aqueles holandeses só comem porcaria. Estive perto de ser atropelada por uma bicicleta umas… 600 vezes, mas sobrevivi. Pasmem-se, mas a Holanda deve ser o único país do mundo onde não são os peões que têm prioridade nas passadeiras, mas os ciclistas.

Mas nem tudo é mau. Os holandeses são uma simpatia e extremamente prestáveis. Não é preciso pedir para nos tirarem fotos, eles simplesmente chegam e oferecem-se.

As coffeeshops, esse tema que tanta curiosidade suscita. Primeira noite, depois do jantar, perguntámos onde é que podíamos ir experimentar a droga local. A rapariga simpática do restaurante indicou-nos o Dolphin. Muito bom aspecto, a menina que serve desdobrou-se em explicações e avisos e lá fomos nós para o andar de baixo, com um charro empacotado!!

Ora, indicações terapêuticas: 2 bafos e esperar e, muito importante, intercalar com uma bebida doce, por causa da queda súbita de tensão que provoca. So far so good. Nos entretantos, a minha amiga começou a ficar com uma moca linda e o meu namorado foi ao “grego”! Ah pois é, armou-se em campeão, e com quatro bafitos apenas foi para a rua vomitar para dentro de um balde! Lindo.

Quanto a mim, nada. É certo que fumei aquilo como se de um cigarro se tratasse, mas nem o mais pequeno vestígio de pedrada. No dia seguinte voltei a tentar [com o mesmo charro] e foi horrível. Fiquei super acelerada, a sentir-me claustrofóbica no meio de uma coffeeshop escura. Conseguia sentir o meu coração a saltar-me do peito. Assustei-me de morte, mas pedrada que é bom e a malta gosta nada. Dei uma nova oportunidade à moca [ainda com o mesmo charro do primeiro dia LOL] e nada de especial. Fiquei um tanto parva, a esquecer-me do que ía dizer e a fazer umas parvoíces, mas nada de mais. Uma desilusão.

Os spacecakes não provei, mas o meu amigo que experimentou garantiu que era treta. Comeu um inteiro e nada. Opinião partilhada também por uns brasileiros que conhecemos lá, que disseram que o efeito foi absolutamente nulo.

E as montras?! São exactamente aquilo que já todos vimos na TV. Algumas meninas giras, a maioria com uma generosa barriga de fast food, mas para todos os gostos: gordas, magras, velhas, homens. Uma experiência totalmente diferente.

Resumindo, foi tudo muito giro e muito cansativo, porque fartámo-nos de andar, mas foi, sem dúvida, uma experiência fantástica. A repetir.

Sobre as borboletas e demais ansiedades

Pois que é já amanhã que An@ & Companhia partem para Amesterdão. A nuvem resolveu escutar-me e resolveu ir enublar o tempo para outras paragens. O meu muito sincero obrigado.

Portanto, quem costuma passar por aqui, já sabe que, por esta, hora já estou em pânico, a pensar porque raio quis eu ir conhecer Amesterdão, quando Macedo de Cavaleiros é igualmente bonito, também tem prostitutas [apesar de não estarem dispostas em montras], permite o consumo de substâncias psicotrópicas [quem não sabe é como quem não vê] e, por fim, não exige deslocações de avião.

Agora é tarde. Não há nada a fazer. Volto segunda-feira. Sintam saudades minhas… ou não!

Oh nuvem de cinza manda-te masé pós Estates

Opá, opá, opá. Querem ver que, pela segunda vez na minha vida, tenho de cancelar umas férias, devido a uma catástrofe natural?! Oh por favor.

Se na primeira vez, não me saiu nada do bolso [sim, sim, sou uma felizarda. Ofereceram-me uma viagem à Tailândia, em Fevereiro de 2005, dois meses após o Tsunami. Sortuda, hein?!], Amesterdão está marcado e pago há mais de três meses e agora corro o sério risco de não ir. Ninguém merece.

Oh vulcãozinho, acalma-te lá, que tanto stresse não te pode fazer bem. Fazemos o seguinte: páras com essa agressividade sob forma de nuvem de cinza por duas semanitas, só para ver como te sentes. Se continuares com problemas de anger management voltas à carga, nice?

Este nada que se apoderou de mim

Caros Três Leitores do Costume [em maiúsculas, porque vos prezo muito],

não me sugere nada digno de menção por aqui. Por ora, nada se passa na minha vida. Os empregadores continuam a ignorar o meu CV, portanto, continuo de férias.

A única coisa positiva é que a minha cultura cinematográfica fica mais rica todas as noites. É que tempo para ver filmes é coisa que não me falta. O livro aí do lado está quase a terminar e já tenho o segundo à espera de ser estreado.

Prometo voltar aos disparates assim que este nada que se apoderou de mim se sumir para outras paragens. Até lá, boas leituras, porque há por aí muito blogue melhor que este, mas muito menos engraçado ;P

Objectivo de vida

Fazer três contratos e ser “dispensada”. Amei… a quantia de dinheiro que transferiram para a minha conta. Sou oficialmente milionária!

Pessoas, muitas amêndoas e uma excelente Páscoa.